Com futuro incerto, Obina lamenta briga no Sul: ‘Ficou feio para nós dois’

Fonte: Globoesporte.com

Cinco dias após se envolver em uma briga com o zagueiro Maurício no intervalo do jogo contra o Grêmio, no Olímpico, e ser demitido em rede nacional pelo Palmeiras, o atacante Obina resolveu dar a sua versão para o episódio. Visivelmente arrependido, o Anjo Negro topou conversar com o GLOBOESPORTE.COM em seu apartamento, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Chateado com a situação, o jogador negou que existam problemas de relacionamento no elenco paulista e disse que o seu futuro na próxima temporada ainda é incerto.

No bate-papo, o jogador revelou que conversou com Maurício durante a madrugada após a briga dentro do gramado do Olímpico. Naquela ocasião, o Palmeiras foi derrotado pelo Grêmio por 2 a 0 e ficou mais distante do título brasileiro. Obina considera o grupo alviverde um dos melhores em que já trabalhou, mas ressalta que não voltaria a atuar no clube por conta das declarações do vice-presidente de futebol Gilberto Cipullo, que o demitiu em rede nacional.

GLOBOESPORTE.COM: Você está arrependido pelo que aconteceu no jogo contra o Grêmio e a briga com o Maurício?

OBINA: Estou arrependido. Eu me arrependo porque sou um pai de família, o Maurício também. E ficou feio para nós dois. Essa discussão era para ter acontecido ali no lance apenas. O nosso time era para ter voltado com 11 para resolver no segundo tempo, mas não foi o que aconteceu. Ficou aquela coisa de um ficar magoado com o outro naquele momento e aconteceu o que aconteceu. Peço desculpas aos meus companheiros que ali estavam. Quero que eles sejam felizes no restante do campeonato. Eu não estou lá, mas estou torcendo por eles de coração.

O que ocasionou a briga entre vocês ainda dentro de campo?

Foi uma cobrança normal após um gol, em uma partida importante, que nos colocava na luta pelo título. Tanto eu como o Maurício estávamos focados. O grupo está focado em conseguir os resultados e não é diferente comigo. Eu queria muito vencer o campeonato, conseguir aquela vitória naquela partida. Por causa da adrenalina, nós extrapolamos um pouco. Tenho certeza que o meu coração está magoado com isso, mas tenho certeza que os objetivos do Palmeiras vão ser alcançados por aqueles jogadores que estão lá.

Você e Maurício foram utilizados como bodes expiatórios pelo Palmeiras?

Em alguns jogos, nós não conseguimos os resultados por mais que o nosso time quisesse. Em alguns momentos, nós tivemos a chance de matar o campeonato e não conseguimos. Acabamos sendo escolhidos para bode expiatório como muitos têm dito por aí. Não se pode colocar a culpa em dois jogadores por uma partida só. Nós nos entregamos ao Palmeiras, e esse foi um caso isolado. Discutimos o que era melhor para o time, nos estressamos e acabou acontecendo aquilo. O importante é que eu saí de cabeça erguida tentando fazer o melhor para o time.

Existe vaidade nesse grupo do Palmeiras? A chegada do Vagner Love atrapalhou de alguma maneira?

Não tenho o que falar sobre isso. Sempre tive um bom relacionamento com todo mundo. Eu não entrava nessas polêmicas. Sempre fui tranquilo, tentando fazer o melhor pelo Palmeiras. O grupo é unido, bom de trabalhar. Todo mundo só quer ajudar o Palmeiras. Infelizmente isso aconteceu e as pessoas querem achar desculpa porque estamos em uma situação pior no campeonato. O grupo é bom, é unido, e deu gosto trabalhar com esse elenco.

Você já conversou com o Maurício após o incidente?

Conversei com o Maurício depois do acontecido. Ficamos conversando no quarto e ficamos tristes com aquela situação. Um pediu desculpas para o outro e isso é o mais importante. Aquilo ali ficou dentro de campo e nunca mais vai acontecer de novo. Nós erramos e jamais vai acontecer em outra oportunidade. É um aprendizado para a vida dos dois.

O fato de o Palmeiras ter um presidente (Luiz Gonzaga Beluzzo) envolvido em polêmicas pode ter atrapalhado o time dentro de campo?

O presidente precisa fazer a parte dele. Ele faz o que deve ser feito e sabe quando deve falar pelo clube. O Palmeiras tem pessoas competentes no cargo e quem eu sou para falar do presidente do clube, que é uma pessoa maravilhosa. Eu o respeito muito. Cada um deve estar com a consciência limpa de que fez o melhor pelo Palmeiras em 2009.

Você guarda mágoa de alguém do Palmeiras?

Não. Só guardo carinho de todos e respeito. Isso é o mais importante. Saí e deixei muitos amigos. Sou uma pessoa feliz por ter participado daquele grupo.

E o seu futuro?

O futuro ainda é incerto. Ninguém sabe o que vai acontecer depois disso. O meu contrato ainda não foi rescindido. Tenho que respeitar isso. No fim do ano, nós vamos ver o que vamos fazer. Vou deixar tudo na mão do meu empresário. Vou ficar tranquilo, curtir a família e se Deus quiser estar em uma grande equipe no ano que vem para fazer o meu trabalho, que é jogar futebol.

Você volta ao Flamengo em 2010?

Não sei o que vai acontecer. Tenho contrato com o Flamengo e o certo é voltar no início do ano que vem. Mas tenho que esperar o término do contrato com o Palmeiras. Eu tenho uma opinião e vou passar ao meu empresário o que eu penso.

Se o Palmeiras voltasse atrás e pedisse o seu retorno. Você voltaria ao Palmeiras?

Não sei se eu voltaria. Ficou uma situação feia para mim. Foi uma coisa pública. O dirigente (Gilberto Cipullo) chegou e disse que eu não vestiria mais a camisa do Palmeiras. É muito difícil voltar. Eles sabem da minha competência, do que eu queria para o Palmeiras, de como eu queria ajudar. Só tenho que agradecer ao pessoal que está lá. Tenho só que agradecer aos torcedores que me apoiaram muito. Tenho certeza que o grupo vai colocar o Palmeiras em uma posição melhor do que está agora.

Quem você acha que vai ser campeão brasileiro em 2009?

Está tudo muito nivelado. É difícil apontar um candidato ao título. O São Paulo é o líder. O Palmeiras liderou 19 rodadas e hoje foi ultrapassado. O Flamengo está vindo forte. Pelo que eu vi está difícil. É uma competição que o torcedor está gostando de ver e quem vencer as últimas rodadas vai ser o campeão.

O que você espera da próxima temporada?

Vai ser diferente desse ano. Preciso pensar diferente. O início de 2009 foi complicado, o meio foi legal porque tive boas atuações no Palmeiras, e o final agora foi ruim. Foi um final que não foi feliz. Tenho que tirar muita lição disso e de muitas coisas que aconteceram. As coisas no ano que vem vão acontecer e eu não quero passar por essas situações novamente.

Você quer deixar algum recado ao torcedor do Palmeiras e ao Maurício?

Peço desculpas não só por ter atrapalhado no jogo do Grêmio, mas por ter deixado o time da maneira que foi. Eu queria que fosse com muitos gols. Nessa reta final, eu queria honrar a camisa do Palmeiras e marcar os meus gols. O Maurício é meu amigo. Passamos a noite toda conversando depois daquele episódio. Chegamos ao hotel já sabendo a decisão da diretoria e pensando no que aconteceu para que fizéssemos aquilo tudo.Temos uma amizade grande e isso não vai acabar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: